Atrofia Muscular Distal Bilateral dos membros Superiores (síndrome de O`Sullivan-McLeod)
As amiotrofias espinhais progressivas (AEP) sáo um grupo de desordem geneticamente determinadas marcadas pela depleção dos neurôios da ponta anterior da medula espinhal e, frequentemente, núcleos de neurônios cranianos (bulbares). A forma mais comum de AEP usualmente compromete os músculos próximas dos membros. Entretanto, existe uma forma incomum, usualmente esporádica, que envolve somente a região distal braquial. O estudo relatou achados clínicos e eletrofisiológicos de um paciente com AEP crônica e com comprometimento dos músculos do ter;o distal dos membros superiores.

Saiba Mais

Estudo anátomo-patológico do músculo esquelético de 14 pacientes
Célia H. Tengan, Acary S.B. Oliveira, Maria P.A. Morita, Beatriz H. Kiyomoto, Beny Schmidt, Alberto A. Gabbai.
A paralisia periódica é entidade caracterizada por crises de fraqueza muscular relacionadas com alterações do nível sérico de potássio. A biópsia muscular pode mostrar alterações específicas ou inespecíficas. Foram analisados 17 biópsias musculares de 14 pacientes com paralisia Periódica.

Saiba Mais

Acary S.B. Oliveira, Beny Schmidt, Armando Ferreira neto, Beatriz H. Kiyomoto, Alberto A Gabbai, J.G.C. Lima.
Foram individualizados 17 pacientes com distrofia muscular congênita (DMC)
por critérios clínico-laboratoriais e biópsia muscular com estudo histoquímico do músculo
deltóide superficial. São descritas e ilustradas, com detalhes, as alterações histológicas observadas nas respectivas biópsias e que compõem seu substrato anátomo-patológico: proliferação conjuntiva, alteração na arquitetura interna, necrose, involução gordurosa, macrofagia, regeneração, segmentação, centralizações nucleares e predominância de fibras tipo I.

Saiba Mais